Bem-estar
Iridologia: diagnóstico pela observação dos olhos
Publicado em 13 de maio de 2015

Por Wiliers Ulisses Melo da Silva

A observação das alterações no olho e nas estruturas associadas existem desde que os homens se olham uns para os outros.

Na Medicina Tradicional Chinesa encontramos indicações tanto de Hipócrates, quanto de Filostratus (3o. século a.C), dizendo que se pode reconhecer o caráter de um homem através de seus olhos.

A primeira publicação nos tempos modernos sobre os sinais na íris e seu significado diagnóstico foi realizado por Phillipus Meyen, em 1670. Em tempos atuais, a Olho-diagnose deve-se ao Dr. Ignaz de Péczely (Budapeste, 1826-1911).

Até hoje a origem da Olho-Diagnose, segundo Péczely, sofre da “historinha da coruja”, segundo a qual o jovem Ignaz quebrou a perna de uma coruja e logo observou o surgimento de um risco escuro na íris do pássaro (no local correspondente a perna). A este fato deve-se o nascimento da irisdiagnose (Lindemann, Gunther – Manual de Iridologia, pg -15 e 16).

A íris é um universo, e quanto mais se souber a respeito dele, maior a aplicabilidade da Iridologia IrisDiagnose. Este universo é identificável e inteligível através da íris, que retrata talvez o mais perfeito microsistema que existe, fornecendo como nenhum outro método informações únicas e ímpares de cada indivíduo (Lindemann, Gunther – Manual de Iridologia). 

A Iridologia exige hoje em dia a análise do olho inteiro como área diagnóstica e funcional. Somente sobre este prisma que o olho do paciente pode ser plenamente explorado para ter significado no diagnóstico. Desta forma, pode-se diagnosticar os sintomas físicos e emocionais presentes no paciente, dando-lhe um caminho a seguir. O tratamento se dá unicamente através de subsídios naturais, pela Fitoterapia Brasileira ou Chinesa, uso de vitaminas e sais minerais extraídos de seu meio natural, alimentação.

Caminhando pela íris se reconhece quatro padrões básicos, simbolicamente descritos como tipos Flor, Jóia e Corrente e Agitador (Ponta de Lança), eles se assemelham as estruturas encontradas na natureza.

Como é feita a avaliação?

O método que aplico desenvolvi dentro da Medicina Complementar com a Naturopatia Aplicada, que é a união de várias técnicas para obter uma avaliação.

Iridologia Holística – com o auxílio de uma câmera fotográfica de alta resolução ótica, tiramos uma foto da íris, onde é possível detectar problemas orgânicos e comportamentais.
Pulsologia Chinesa – é feita a observação dos meridianos energéticos, uma visão aprimorada do funcionamento do organismo.
Plantas Terapêuticas Brasileira e Chinesa – após a avaliação, é feita a indicação de plantas medicinais em forma de pó.
Homeopatia – toda substância, vegetal, mineral ou animal, em doses mínimas, pode promover a melhora ou extinção do problema.
Alimentação Terapêutica – método de avaliação que utiliza alimentação do tipo sanguíneo, índice glicêmico e alimentos segundo a visão chinesa. De forma individual, é possível obter uma lista de alimentos que são benéficos, neutros ou nocivos ao organismo.
Ao término da avaliação, o paciente receberá uma pasta com um cronograma para sua orientação.

Curso

Para quem tiver interesse sobre Iridologia, vou ministrar um curso de seis meses sobre o assunto na Inova Derm, que fica no Taquaral, em Campinas, onde faço atendimento. A turma deve começar em julho, e poderá ser um dia durante a semana no período da noite ou no sábado. O espaço está oferecendo uma bolsa para interessados que já reservarem vaga. O valor original é de R$ 1470 em seis vezes. Com a bolsa, fica em R$ 800 em até duas parcelas. Mais informações pelo telefone (19) 3308-1221 ou pelo email contato@inovaderm.com.br.

Wiliers Ulisses Melo da Silva é Acupunturista Naturopata.

Compartilhe

Copyright ©2010-2018 Campinas.com.br. Todos os direitos reservados.

+ Bem-estar