Roteiro do Café

Faltam investimentos nos setores de café gourmet no Brasil

No Brasil, o setor de cafés especiais cresce a cada dia, mas ainda enfrenta a falta de investimentos. Produtores necessitam de treinamento e qualificação no que diz respeito aos cuidados com a plantação, colheita, beneficiamento, armazenamento e distribuição de grãos. Poucos realizam a colheita dos grãos maduros, como se faz da Colômbia, por exemplo. A maioria colhe conjuntamente todos os grãos - verde, maduro e seco. Esse processo acarreta perda no valor de venda e na qualidade da bebida que chega à xícara do consumidor.

Da mesma forma, as fazendas e sítios carecem de equipamentos e treinamento de seus funcionários, para ampliar o cuidado com a plantação, beneficiamento e armazenamento dos grãos e, posteriormente, com a venda.  Dependendo da região produtora, e sem os investimentos necessários, esse processo pode comprometer a qualidade da safra.

Já as lojas e cafeterias precisam investir em equipamentos, mas, principalmente, em qualificação do seu pessoal. Hoje, encontramos funcionários que preparam o expresso atuando também na montagem de lanches, dentre outras atividades paralelas. O funcionário deveria ser exclusivo para lidar com o café – como o barista, por exemplo. Ele é a pessoa qualificada e adequada para trabalhar com grãos especiais e com as máquinas sofisticadas. Somente assim é possível ter uma bebida com os aromas e sabores especiais que os grãos oferecem.

Afinal, quem merece esses grãos especiais é o consumidor. Atualmente, o Brasil é o maior produtor de café do mundo e logo será também o maior consumidor. Entretanto, isso só será possível se houver qualidade.

comentário(s)