CrossFox 2014: mais tecnologia

Novo modelo chega ao mercado mais tecnológico, mas sem mudanças no visual

O CrossFox, desde seu lançamento em 2003, sempre foi conhecido pela sua praticidade, além do visual aventureiro diferenciado. Agora no modelo 2014, o modelo chega com mais tecnologia embarcada, porém, sem mudanças expressivas no seu visual, desde que recebeu a nova frente com o estilo global da marca.

Estilo

Na linha do CrossFox 2014 quase não tiveram mudanças externas no visual do carro. Uma das poucas novidades é a pintura Crome Effect nos espelhos laterais (uma pintura prata fosca da na capa externa). De resto, o modelo continua o mesmo com 3 cores sólidas básicas (branco, preto e vermelho). Existe a opção de um preto perolizado e mais 5 tons metálicos. Mas o destaque fica com o Amarelo Imola e o Laranja Atacama (cor do carro avaliado). Mas essas duas cores tem um preço adicional de R$ 1,8 mil. Para quem quer um visual mais aventureiro, pode-se comprar os pneus de uso misto por um valor de quase R$ 500.

Outra mudança é a inclusão das palhetas do parabrisa tipo aerowischer. Elas tem funcionamento mais silencioso, com melhor aerodinâmica e durabilidade, em comparação às palhetas convencionais.

O CrossFox é o único modelo da família Fox a trazer o farol auxiliar de dupla função. Geralmente, nos carros equipados com farol auxiliar, sua função é apenas iluminar as faixas laterais da pista. No CrossFox, além dessa função, o farol tem uma segunda lâmpada que se acende quando o motorista aciona o farol alto. Essa função, definida como farol de profundidade, ajuda a complementar o facho do foral alto, melhorando ainda mais a iluminação em longa distância

Uma vantagem do visual aventureiro é trazer o estepe do lado de fora do carro, num suporte na parte de trás do porta-malas. Além de ser mais prático para a troca, o conjunto montado no suporte é exatamente igual ao pneu e roda de rodagem. Além disso, fica mais fácil ver se o pneu foi roubado.

Mais tecnologia

Na linha 2014 o CrossFox vem com um novo sistema tecnológico embarcado. Trata-se da tecnologia de multiplexagem, que substitui instalações elétricas convencionais, por sistemas inteligentes digitais. Isso permite incluir funções de conforto e comodidade de maneira muito mais fácil. Entre elas, podemos destacar algumas: o retorno automático das palhetas quando se desliga a chave do carro; acionamento ideal da partida do carro, rebatimento automático do espelho lateral direito ao se engatar a marcha ré e o confort blinker que pisca a seta três vezes ao se dar um leve toque na chave seletora.

Outro equipamento novo é o ESS (Emergency Stop Signal ou Sinal de Frenagem de Emergência) como equipamento de série. Disponível em modelos como Passat e Tiguan, o ESS funciona como um alerta para evitar colisões traseiras. Toda vez que o motorista aciona o pedal de freio de forma acentuada, mantendo uma frenagem mais consistente, o sistema aciona as luzes traseiras de freio de forma intermitente, sinalizando aos demais motoristas uma desaceleração acentuada.

Interior

O CrossFox é um modelo prático para o dia a dia. Ele vem com uma série de porta objetos no seu interior. Nas portas dianteiras existem dois porta-latas, que também acomodam garrafas de 1,5 litros. O destaque fica para uma gaveta na parte inferior do banco do motorista, capaz de acomodar uma bolsa feminina. Outro diferencial é a posição de dirigir mais elevada, muito procurada por mulheres. Além disso, também está presente o ajuste de altura e profundidade do volante e regulagem de altura do banco do motorista. Mas o espaço no porta-malas é um pouco limitado,com apenas 260 litros.

Novo rádio

Outro equipamento bem interessante do CrossFox 2014 é o novo sistema de som, que traz entrada USB, cartão SD Card e entrada tipo P2. Além disso, tem suporte a conexão Bluetooth tanto para viva-voz quanto para streaming de áudio. Esse rádio ainda traz a exibição gráfica do detector de obstáculo traseiro. Esse é o mesmo rádio que equipa o sedan Jetta na versão de entrada. O rádio também interage com o I-System, enviando as informações exibidas na tela do rádio, também no display central do painel de instrumentos.

Conectado ao rádio está o PDC (Parking Distance Control), ou controlador de distância ao estacionar. Quando equipado com o sensor de aproximação de obstáculos traseiros (opcional), o CrossFox 2014 exibe na tela central do rádio a silhueta digital da carroceria do veículo (visto de cima), com uma barra que vai se aproximando da traseira à medida que a distância do obstáculo diminui. O sistema usa quatro sensores instalados no para-choque traseiro, e conta com o auxílio sonoro  que vai aumentando a intermitência conforme o carro se aproxima do objeto.

I-System

Ainda que o I-System não seja uma novidade, esse é um sistema que merece atenção. Por ele o motorista consegue, através de teclas instaladas no volante do carro, configurar diversas funções no carro, utilizar o computador de bordo, ter controle sobre a conectividade do celular e ainda controlar amplamente as funções de áudio. A interface é bastante simples de usar e as informações são mostradas no centro do painel de instrumentos. É importante destacar, que o I-System do CrossFox traz funções muito parecidas à aquelas disponibilizadas em carro de categoria muito superior como Jetta, Passat e Tiguan. Ou seja, a Volkswagen realmente introduziu um equipamento premium num carro de entrada da marca. Esse é um equipamento opcional.

Mais equipamentos

Opcionalmente, pode vir equipado com teto-solar com controle elétrico. Ao se abrir o teto, ele vai até uma posição que evita turbulência. Mas o usuário pode abrir o teto até o final do curso, através do botão de acionamento. Porém, isso causa turbulência em velocidade superior à 60 km/h.

O CrossFox ainda pode incluir nos seus equipamentos, mais alguns sensores opcionalmente. Neles estão disponíveis as funções de acendimento automático dos faróis, acionamento dos limpadores do párabrisa na chuva, e o espelho interno com o recurso eletrocrômico que escurece o espelho automaticamente a noite quando um carro vem atrás com farol alto. O carro também pode estar equipado com o sistema de abrir e fechar os vidros pela chave. Basta segurar o botão de trancar ou abrir as portas por mais de três segundos.

Câmbio robotizado

O CrossFox pode estar equipado com sistema I-Motion, também definida por transmissão automatizada ASG (iniciais de Automated Sequential Gearbox). A principal vantagem dela é oferecer parte da comodidade de um câmbio automático e a mesma eficiência na economia de combustível de um câmbio manual. Além disso, o preço do câmbio I-Motion é muito mais atraente, se comparado às transmissões automáticas convencionais (com conversor de torque).

A base dessa transmissão ASG é a caixa de câmbio manual de cinco marchas (MQ200), onde o comando manual é substituído por um conjunto de atuadores eletrohidráulicos. Em modo automático (Drive), as marchas são selecionadas sem interferência do motorista.

O motorista também pode fazer uso do modo manual. Para isso, basta deslocar a alavanca para a esquerda. As trocas manuais exigem apenas um toque na alavanca para a frente (+) ou para trás (-), ou toques nas aletas (“paddle shifts”) localizadas na parte de trás do volante (quando equipado). Como nos câmbios automáticos, essa transmissão conta com a função “kick down”. Ao realizar uma ultrapassagem, basta que o motorista pise fundo no pedal do acelerador para que o sistema reduza para a menor marcha possível, fazendo o motor girar mais alto e fornecendo dose maior de força.

Ainda existe a possibilidade de se utilizar a programação esportiva, acionada por meio da tecla “S”, colocada junto à alavanca no console. Nesse modo as marchas são “esticadas” e as trocas aconteçam em regime maior de rotação do motor.

A VW destaca que o I-Motion é o sistema de câmbio robotizado que menos dá tranco nas trocas de marcha, quando comparado com os concorrentes diretos Dualogic (Fiat) e Easytronic (Chevrolet). O motivo disso é o fato das marchas terem sido escalonadas de forma a exigir menor quantidade de trocas. Para isso, a segunda, terceira e quarta marchas foram aproximadas, enquanto a primeira e a quinta tiveram suas relações mantidas. Dessa forma, com o “degrau” entre as marchas mais próximo, a passagem entre as marchas é mais suave.

Outra característica importante das transmissões automatizadas é o fato dela prolongar a vida útil do sistema de embreagem. Num carro equipado com câmbio manual, o motorista pode “queimar” a embreagem em diversas situações. Ou ainda, forçar o sistema executando trocas incorretas. No sistema robotizado isso nunca acontece. Dessa forma, o I-Motion protege o conjunto ao mesmo tempo que ajuda na economia de combustível. De forma comparativa, o câmbio robotizado pode ser até 20% mais econômico que um câmbio automático convencional, quando comparados em carros de mesmo tamanho e com potência parecida.

Motor

O motor é o famoso 1.6 litro EA111 VHT, exatamente igual aos demais modelos da Volkswagen. Trata-se de um motor transversal com quatro cilindros em linha e duas válvulas por cilindros. A principal característica desse motor é o desempenho em baixa rotação. Assim, o CrossFox é um carro que vai muito bem na cidade. Sua arrancada é consistente, ou seja, ele reage rápido nas acelerações do trânsito pesado das grandes cidades. A potência máxima é em cavalos é de 104 (etanol) e 101 (gasolina) cavalos.

Suspensão elevada

Outro diferencial do CrossFox é a suspensão elevada de fábrica. Isso é ideal para passar em lombadas, valetas e buracos, sem muita preocupação. A rigor, o CrossFox traz apenas amortecedores e molas diferentes em relação a versão tradicional do Fox. Porém, a estrutura da suspensão é basicamente a mesma. Ou seja, o Fox tem uma suspensão tão resistente quanto a do CrossFox. Porém os 5,8 cm à mais, permitem a versão aventureira superar com muito mais tranquilidade os obstáculos. Essa elevação acontece por dois fatores: são 2,5 cm graças ao pneu maior e 3,3 cm no conjunto da suspensão.

Desempenho e dirigibilidade

O desempenho do CrossFox esta na média, mesmo com o motor 1.6 litro e I-Motion. Com gasolina, a aceleração de 0 à 100km/h acontece em 12 segundos (são 11,7 segundos no etanol). E a velocidade máxima é de 171 km/h (173 km/h no etanol).

Mas o CrossFox tem muito a oferecer no quesito dirigibilidade. Além de prático e ágil no ambiente urbano, o veículo é versátil nas condições nas ruas esburacadas. Dentro da cidade, é difícil encontrar um obstáculo que o CrossFox não tire de letra. Subir e descer guias, além de atravessar lombadas e valetas, é uma tarefa fácil. E o conjunto resistente mostra disposição para encarar esses obstáculos por muito tempo. E o tamanho pequeno do carro, ajuda bastante na hora de estacionar em vagas apertadas. Em resumo, o CrossFox é ideal para o motorista pouco cuidadoso, que passa grande parte do tempo circulando dentro da cidade. E vale o ditado: quanto pior o piso, melhor para o CrossFox.

Preço e mercado

O preço do CrossFox pode variar bastante dependendo dos opcionais escolhidos pelo cliente. O CrossFox básico com câmbio manual parte de R$ 46 mil. Com o I-Motion o preço sobe para R$ 49 mil. O teto solar é um opcional de R$ 2,1 mil, o ar-condicionado mais R$ 2,7 mil, o rádio mais R$ 1 mil, o pacote de sensores de faróis e chuva R$ 1 mil, o sensor traseiro R$ 700, os shift paddles R$ 500. O CrossFox com todos os opcionais e pintura especial chega ao valor de R$ 60 mil. Os concorrentes que podem ser considerados como diretos são o Fiat Idea Adventure, o Citroen C3 Aircross, o Ford EcoSport e o Renault Sandero Stepway. Um porém do CrossFox é a garantia de apenas 1 ano. Alguns concorrentes oferecem 3 anos.

comentário(s)