“Festival de Filmes Premiados” é atração no MIS Campinas em junho

Programação do mês reúne vários ciclos temáticos e longas como "La La Land", "Moonlight", entre outros

Em junho, o Museu da Imagem e do Som de Campinas (MIS) oferece ao público a diversidade de gêneros e ciclos temáticos nas sessões de cinema, trazendo títulos premiados e de sucesso. As exibições do “Festival de Filmes Premiados” terão entrada gratuita e serão seguidas de debate com o público.

A programação tem início no dia 1º com a obra do diretor Clint Eastwood e o filme "Cartas de Iwo Jima", que conta a história da estratégia japonesa contra os americanos. O aclamado musical "La La Land" compõe a lista de grandes sucessos. Com direção de Damien Chazelle, mostra a busca de dois jovens pelo ideal em suas carreiras, dividindo também sonhos e romance.

Ainda nos destaques, o vencedor do Oscar 2017, "Moonlight" (foto), assinado por Barry Jenkins, relata a história de garoto de nove anos que luta contra problemas familiares e bullying, mas que ganha um inesperado protetor: o chefe do tráfico da sua região.

Programação:

Sessão da tarde
Curadoria Andrea Reis

01/06, às 14h00 – “Cartas de Iwojima”
Direção: Clint Eastwood
Sinopse: Junho de 1944. Tadamichi Kuribayashi (Ken Watanabe), o tenente-general do exército imperial japonês, chega na ilha de Iwo Jima. Muito respeitado por ser um hábil estrategista, Kuribayashi estudara nos Estados Unidos, onde fizera grandes amigos e conhecia o exército ocidental e sua capacidade tecnológica. Por isso, o Japão colocou em suas mãos o destino de Iwo Jima, considerada a última linha defesa do país. Ao contrário dos outros comandantes, Kuribayashi moderniza o modo de agir, alterando a estratégia que era usada. Ele supervisiona a construção de uma fortaleza subterrânea, feita de túneis que davam para as suas tropas a estratégia ideal contra as forças americanas, que começam a desembarcar na ilha em 19 de fevereiro de 1945. Os japoneses sabiam que as chances de sair dali vivos eram mínimas. Enquanto isto acontece Kuribayashi e outros escrevem várias cartas, que dariam vozes e rostos para aqueles que ali estavam e o relato dos meses que antecederam a batalha e o combate propriamente dito, sobre a ótica dos japoneses. EUA, 2006, 139min

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

02/06, às 19h30 – “La La Land”
Direção: Damien Chazelle
Sinopse: Seb (Ryan Gosling) é um pianista que sonha abrir seu próprio clube de jazz, mas tem que sobreviver tocando músicas cafonas para clientes distraídos de um restaurante. Mia (Emma Stone) é uma aspirante a atriz que se desdobra em testes por toda Los Angeles, à procura de uma chance que permita largar o trabalho de garçonete. Os dois se conhecem e dividem sonhos e um romance. EUA, 2016. Colorido, 126 min.

Ciclo Cinema & Literatura
Curadoria Ricardo Pereira

03/06, às 16h00 – “Um Estranho no Ninho”
Direção: Milos Forman
Sinopse: Atuação brilhante de Jack Nicholson, que interpreta McMurphy, um condenado que é enviado para ser examinado numa instituição de doentes mentais. Lá ele conhece a enfermeira Ratched (Louise Fletcher), pouco sensível e determinada a manter a ordem. McMurphy se opõe às regras, convicto de que a opressão é o pior inimigo dos pacientes. Ele começa a incitar em seus companheiros identidades e idéias próprias, deixando a mensagem de que é possível se libertar mesmo das condições mais opressivas. Baseado no romance de Ken Kesey. EUA, 1975. Colorido, 133 min.

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

03/06, às 19h30 – “Moonlight”
Direção: Barry Jenkins
Sinopse: Por ser extremamente franzino aos 9 anos, Chiron ganha o apelido de "Little" (pequeno). Sofre um tremendo bullying na escola e não tem como contar com o pai, ausente, nem a mãe, drogada. Vivendo numa região dominada pelo tráfico de drogas, ele ganha um protetor inesperado em Juan, o chefão do tráfico local. EUA, 2016. Colorido, 111 min.

Ciclo Animação
Curadoria Ulisses

06/06, às 19h30 – “Ghost In The Shell”
Direção: Rupert Sanders
Sinopse: Em um mundo pós-2029, é bastante comum o aperfeiçoamento do corpo humano a partir de inserções tecnológicas. O ápice desta evolução é a Major Mira Killian (Scarlett Johansson), que teve seu cérebro transplantado para um corpo inteiramente construído pela Hanka Corporation. Considerada o futuro da empresa, Major logo é inserida no Section 9, um departamento da polícia local. Lá ela passa a combater o crime, sob o comando de Aramaki (Takeshi Kitano) e tendo Batou (Pilou Asbaek) como parceiro. Só que, em meio à investigação sobre o assassinato de executivos da Hanka, ela começa a perceber certas falhas em sua programação que a fazem ter vislumbres do passado quando era inteiramente humana. EUA, 2017,107min

Sessão da tarde
Curadoria Andrea Reis

08/06, às 14h00 – “O Banheiro do Papa”
Direção: Enrique Fernandes, Cesar Charlone
Sinopse: 1998, cidade de Melo, na fronteira entre o Brasil e o Uruguai. O local está agitado, devido à visita em breve do Papa. Milhares de pessoas virão à cidade, o que anima a população local, que vê o evento como uma oportunidade para vender comida, bebida, bandeirinhas de papel, souvenires, medalhas comemorativas e os mais diversos badulaques. Beto (César Trancoso), um contrabandista, decide criar o Banheiro do Papa, onde as pessoas poderão se aliviar durante o evento. Mas para torná-lo realidade ele terá que realizar longas e arriscadas viagens até a fronteira, além de enfrentar sua esposa Carmen (Virginia Mendez) e o descontentamente de Silvia (Virginia Ruiz), sua filha, que sonha em ser radialista. França, Brasil, Uruguai, 2007, 97 min

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

09/06, às 19h30 – “A Chegada”
Direção: Dennis Villeneuve
Sinopse: Louise Banks (Amy Adams) é uma professora de linguística contactada pelo governo dos Estados Unidos para ajudar na comunicação com alienígenas que chegaram à Terra. A decifração da linguagem dos extraterrestres trará muitas descobertas sobre o planeta e a vida dela mesma. EUA, 2016. Colorido, 116 min.

Ciclo Diversidade Cultural, outras linguagens; outros olhares
Curadoria Adriano de Jesus

10/06, às 16h00 – “Jornada ao Oeste”
Direção: Tsai-Ming-Liang
Sinopse: Um monge de túnica de vermelha caminha pelas ruas e praças da cidade num ritmo coordenado e lento. Tudo ao seu redor mostra a vida agitada dos moradores, que o ignoram a princípio. Mas, quando um homem decide imitar os seus passos penitenciais, o monge ganha um discípulo. Este caminhante silencioso e incomum ‘desce’ ao mundo de um lugar mais elevado que permanecerá desconhecido”, enquanto em Jornada ao Oeste o movimento está no horizonte, que está na “passagem de bastão” de Lee para Lavant, na transposição de uma filosofia e de uma prática oriental para o Ocidente, de Hong Kong para Marselha. Primeiro, nós vemos o sofrimento no rosto dele, mas depois de um tempo nós observamos que ele parece ter encontrado “um significado para a sua vida.” Malásia, 2014, 82min.

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

10/06, às 19h30 – “Manchester à Beira-Mar”
Direção: Kenneth Lonergan
Sinopse: Anos depois de ter abandonado sua terra natal, após uma tragédia, Lee Chandler recebe noticias que o levam a ter que voltar. Novamente em sua cidade, ele reencontra pessoas do passado e encara de novo uma dor insuportável. EUA, 2016. Colorido, 137 min.

II Ciclo de Cinema Mantis: Cor, Câmera, Ação!
Realização Grupo de Pesquisa MANTIS (UNICAMP)
Coordenação Geral Profa. Anna Gouveia
Coordenação dos debates Pedro Pinho e Daniele Shirozono.

14/06 - Cor e Pós-produção
16h00 – “Pleasantville - A vida em preto e branco”
Direção: Gary Ross. 1998. 2h4min.

19h30 – “O Mágico de Oz”
Direção: Victor Fleming, George Cukor. 1939. 1h42min.
A história é de uma garota (Dorothy) e suas aflições na realidade dela (em preto-e-branco). Essa garota entra em um mundo fantasioso (colorido) cheio de seres fantásticos e desafios. "Pleasantville", possui uma premissa parecida. Dois jovens conseguem entrar e fazer parte de um sitcom da televisão americana. A diferença é que o universo fantasioso do sitcom é preto-e-branco e a realidade dos jovens é colorida. O Mágico de Oz é um filme simbólico, pois trata-se, talvez, da obra mais importante e referência do período do cinema onde os filmes coloridos eram dominados pela Technicolor. Pleasantville, por sua vez, é o primeiro filme a passar pelo processo de correção de cor digital. Ele foi todo gravado em cores e "descolorido" digitalmente.

Mostra "O Cinema Contemporâneo Latino Americano"
Curadoria Cineclube Invert

15/06, às 19h30 – “Salvador Allende”
Direção: Patricio Guzmán
Sinopse: Documentário em homenagem ao presidente do Chile que foi personagem principal na tentativa de criar o socialismo democrático, numa mistura de política e utopia. Chile, 2004, 100 min.

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

16/06, às 19h30 – “Elle”
Direção: Paul Verhoeven
Sinopse: Executiva de sucesso, comandando uma empresa de videogames, sofre um estupro em sua elegante casa. A partir do episódio, ela demonstra reações inesperadas, que têm origem em episódios traumáticos de seu passado familiar. França, 2016. Colorido, 130 min.

Ciclo Diversidade Sexual
Curadoria Cineclube Purpurina

17/06, às 16h00 – “Viva”
Direção: Paddy Breathnach
Sinopse: Viva conta a história de Jesus (Héctor Medina), jovem cubano que sonha em ganhar a vida como drag queen. Quando estreia nos palcos tem que lidar com o reaparecimento de seu pai boxeador, ausente por 15 anos. A partir de agora os dois têm de lidar com as diferenças de cada um e quem sabe criar uma relação de pai e filho. Irlanda/Cuba, 2015, 100 min.

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

17/06, às 19h30 – “A Criada”
Direção: Park Chan-wook
Sinopse: Na Coreia dos anos 1930, dominada pelos japoneses, uma rica jovem órfã vive em uma rica mansão como virtual prisioneira de um tio. Obcecado por relatos eróticos, ele mantém uma imensa biblioteca sobre o tema e treina a sobrinha, desde menina, na leitura destas histórias para privilegiados ouvintes. Um dia, chega uma nova criada, com um plano secreto para mudar estas vidas. Coreia do Sul, 2016. Colorido, 145 min.

Ciclo Cine Mulher
Curadoria Silmara

19/06, às 19h30 – “Mucamas”
Sinopse: O Brasil é o país com o maior número de domésticas do mundo. Segundo os dados mais recentes da Organização Mundial de Trabalho, são 6,7 milhões de mulheres na função, representando 17% das trabalhadoras do país. É para ouvir a voz dessas mulheres, que o coletivo Nós, Madalenas lançou o documentário Mucamas. O filme joga luz sobre mulheres que dedicam suas vidas à vida de outras famílias. Ambientado na maior cidade do país, São Paulo serve de pano de fundo para relatos intimistas que revelam a necessidade de repensarmos o papel dessas profissionais no mundo em que vivemos. O que torna o projeto ainda mais especial é que as entrevistadas são mães de cinco integrantes do coletivo e por isso propõe também uma importante reflexão sobre representatividade e a construção de narrativas populares. Pela soberania audiovisual em todas as periferias! Pela democratização dos meios de comunicação. Brasil, 2015, 15 min.

II Ciclo de Cinema Mantis: Cor, Câmera, Ação!
Realização Grupo de Pesquisa MANTIS (Unicamp)
Coordenação Geral Profa. Anna Gouveia
Coordenação dos debates Pedro Pinho e Daniele Shirozono.

21/06 - Cor e Artes Visuais
16h00 – “Sede de Viver”
Direção: Vincente Minnelli, George Cukor. 1956. 2h2min.

19h30 – “Frida”
Direção: Julie Taymor. 2002. 2h3min.
Sede de viver é um filme biográfico sobre o pintor holandês Vicent van Gogh que inicia o retrato da trajetória do artista em sua ida à Paris e começo de suas atividades de pintura. Em Frida , a história gira em torno da vida da pintora mexicana Frida Kahlo, desde seu acidente enquanto adolescente até sua morte. Com uma diferença de quase 50 anos de produção entre um filme e outro, além de uma distância geográfica considerável entre os países de origem de cada artista, busca-se um debate sobre os elementos cromáticos trazidos por cada produção, levando-se em consideração a obra dos artistas retratados, bem como os recursos tecnológicos de cada período de produção dos filmes.

Sessão da tarde
Curadoria Andrea Reis

22/06, às 14h00 – “Minha Vida Em Cor - De – Rosa”
Direção: Alain Berliner
Sinopse: Ludovic é uma garota transsexual que está começando a assumir sua verdadeira identidade perante o mundo. Seu desejo é se casar com o filho de sua vizinha, mas os novos rumos que Ludovic dá para sua vida surpreendem sua própria família e os vizinhos, que não conseguem aceitar, de fato, a felicidade, os desejos e a real identidade de Ludovic. Reino Unido, Bélgica, França, 1996, 88min

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

23/06, às 19h30 – “Eu, Daniel Blake”
Direção: Ken Loach
Sinipse: Daniel Blake (Dave Johns), um carpinteiro de 59 anos, não é liberado pelo serviço médico para voltar a trabalhar depois de ter tido problemas cardíacos. A burocracia governamental, no entanto, entende que ele deve voltar a trabalhar ou mesmo procurar emprego, senão para de receber sua pensão. Ao mesmo tempo, ele ajuda uma jovem, mãe solteira de duas crianças, a lidar com problemas parecidos. Inglaterra, 2016. Colorido, 100 min.

24/06, às 16h00 – “O Encouraçado Potemkin”
Direção: Sergei Eisenstein
Sinopse: Presente na lista dos filmes mais importantes da história do cinema, este longa revela de modo coerente a forma revolucionária e o conteúdo revolucionário. Remetendo à Revolução de 1905, ensaio político marcado por acontecimentos como a rebelião de marinheiros do couraçado de Potemkin, o filme deita raízes sobre a luta política contra o czarismo. Esta é uma obra que exerce a montagem cinematográfica de acordo com o movimento dialético do pensamento marxista. Um clássico do cinema revolucionário.URSS,1925

Ciclo Festival de Inverno
Curadoria Ricardo Pereira e Gustavo Souza

24/06, às 19h30 – “O Apartamento”
Direção: Ashgar Farhadi
Sinopse: Emad e Rana são um casal de atores ainda sem filhos. Quando o prédio onde moram sofre abalo e uma série de rachaduras, eles são obrigados a mudar-se temporariamente. No novo prédio, numa noite em que Rana esperava Emad, ela sofre uma agressão. Irã, 2016. Colorido, 125 min.

Sessão da tarde
Curadoria Andrea Reis

29/06, às 14h00 – “Siddhartha”
Direção: Conrad Rook
Sinopse: Baseado na famosa Obra literária de Hermann Hesse , esta maravilhoso filme espiritual narra a História de um Jovem que aos 18 anos de idade escolhe transformar a busca pela perfeição em sua meta principal de vida , para isso deixa a casa de seus pais que lhe proporcionava uma condição abastada materialmente mas de grande pobreza espiritual, parte em sua jornada rumo ao auto conhecimento, torna-se discípulo de Buda, asceta, e vai cada vez mais buscando o sentido do Karma assim como do Sanmsara. Uma jornada sem igual em busca da Alma humana e do verdadeiro Eu. EUA, 1972, 89min.

Ciclo Mensal Catavento
Cineclube Catavento

29/06, às 19h30 “Insubordinados” Direção: Edu Felistoque, Clayton Dantas
Sinopse: Janete (Silvia Lourenço) passa seus dias no hospital ao lado do pai doente, um coronel reformado da Polícia Militar, que está em estado terminal. Janete enfrenta esses dias de agonia e aplaca a solidão, escrevendo uma história policial, no qual ela é uma delegada e funcionários do hospital, como enfermeiras e faxineiros também se transformam em personagens. Brasil, 2015, 82 min.

Programação Especial
Curadoria Augusto Buonicore

30/06, às 19h30 – “Libertários”
Direção: Lauro Escorel
Sinopse: O filme descreve apoiado em fotos e músicas da época a influência do movimento anarquista na conscientização do nascente operariado brasileiro, em fins do século XIX e início do século XX. Nesse tempo, no estado de São Paulo, o acelerado processo de industrialização forma um proletariado urbano, com marcada presença de imigrantes italianos de formação anarquista. Organizados, conseguem expandir seu movimento e promover as primeiras greves, a fim de obter acordos e melhores condições de trabalho. Brasil, 1976, 27 min.

Serviço:

"Festival de Filmes Premiados"
Local: Museu da Imagem e do Som (MIS). Palácio dos Azulejos. Rua Regente Feijó, 859, Centro – Campinas. (19) 3733-8800
Data: de 1º a 30 de junho
Entrada: gratuita

comentário(s)