campanha_vacinacao_-campinas.jpg
Bem-estar

Campanha contra a Poliomielite espera vacinar mais de 60 mil crianças em Campinas

Publicado em 14 de agosto de 2015

Atualizado em 28 de agosto

A Prefeitura de Campinas, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), iniciou no sábado (15/08), a Campanha de Vacinação contra Poliomielite. Crianças de seis meses de idade a cinco anos incompletos devem receber a dose contra o vírus nos 64 centros de saúde do município e em cem postos volantes. A meta é atingir 95% desta população, de 60.327 crianças. A campanha, que iria até o dia 31 de agosto, foi prorrogada até 10 de setembro, já que mais de 20 mil crianças ainda precisam ser vacinadas. Até a sextta-feira, 28 de agosto, 39.757 crianças já tinham sido imunizadas.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 10 países registraram casos de poliomielite em 2013 e 2014, sendo que três deles são considerados endêmicos (Paquistão, Nigéria e Afeganistão).

Os endereços dos centros de saúde e dos postos volantes podem ser encontrados no site da Prefeitura de Campinas (www.campinas.sp.gov.br) ou pelo telefone 156.

Também serão atualizados os cartões de vacinas de crianças de zero a cinco anos para imunização de outras doenças. 

Esquema vacinal

Além da campanha anual, a vacina contra a paralisia infantil faz parte do Calendário Nacional de Vacinação e fica disponível durante todo o ano nos postos de saúde de todo o município. Na vacinação de rotina, a dose é recomendada a todas as crianças menores de cinco anos, aos dois, quatro e seis e 15 meses de idade, além da dose de reforço, aos completar quatro anos. As campanhas são realizadas como oportunidade para atualização do esquema vacinal.

Atualmente, são ofertados dois tipos de vacina: a VIP (Vacina Inativada Poliomielite), utilizada no início de esquema de vacinação, e a VOP (Vacina Oral Poliomielite), utilizada como dose de reforço.

Poliomielite

A doença é infectocontagiosa grave e a única forma de prevenção é por meio da vacinação. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.

Certificação

Em 1994, o Brasil recebeu da Organização Panamericana de Saúde (Opas) o Certificado da Erradicação da Transmissão Autóctone do Poliovírus Selvagem, juntamente com os demais países do continente americano. O último caso da doença registrado no Brasil foi em 1990. O resultado foi possível devido à estratégia de vacinação adotada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), que teve início em 1980.

O Plano Estratégico Endgame e a Erradicação da Pólio (2013-2018) teve origem na Assembleia da Organização Mundial da Saúde (OMS), realizada em 2012. O documento declara a finalização da pólio como uma “emergência programática global para saúde pública”, e traça quatro objetivos principais: a detecção e interrupção da transmissão do poliovírus; o fortalecimento dos programas de imunização; a contenção do poliovírus e a certificação da interrupção da transmissão; além do legado de planejamento.

 Atualmente, o Ministério da Saúde realiza a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite todos os anos, com a imunização de crianças entre seis meses de idade e cinco anos incompletos. Na mobilização de 2014, realizada junto a estados e municípios, mais de 11,9 milhões de crianças foram vacinadas. O período de imunização acontece no mês de novembro. 

Serviço:

Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite
Data: de 15 a 31 de agosto
Os endereços dos centros de saúde de Campinas e dos postos volantes na cidade podem ser encontrados no site da Prefeitura (www.campinas.sp.gov.br) ou pelo telefone 156

Compartilhe

Copyright ©2010-2018 Campinas.com.br. Todos os direitos reservados.

+ Bem-estar