Liquidificultura
As Campineiras – “A Bem Amada do Pq. São Quirino”
por Cesar Póvero
Publicado em 16 de abril de 2018

O caminhão passou pela Rodovia Campinas Mogi Mirim…

Assim… um dia, Danúsa chegou ao bairro Parque São Quirino, ainda havia muito menos construções que hoje e muito mais verde. Em meio à mudança, muitas mudanças, agora estava casada, e carregava um bebê na barriga, móveis eram descarregados do caminhão, um novo começo.

Nem saberia dizer hoje em dia porque se casou com aquele homenzinho quase sem atrativos, acredita que o casamento foi a solução para sair de casa como era tradição em sua época.

O primeiro namorado, mas não o primeiro amor. Não era o que estava nos livros, seu passatempo preferido.

A gravidez foi o passaporte para a liberdade, foi obrigada a se casar com ele, no momento era o que ela queria, a única saída para uma jovenzinha ainda menor de idade.

Com o passar dos dias seu marido, corretor de imóveis lhe apresentou a música, os bares, a boemia, na verdade, além dos filhos, foi o único fruto plantado e jamais deixado de se regar. Sendo assim, além dos livros tinha a paixão pela música, principalmente a MPB.

Sabia que contos de fadas não existiam, mais sonhava em ser amada, desejada e querida,e um dia como quem diz que foi a padaria, ele lhe disse que frequentava um bordel, com a maior naturalidade, disse porque era homem e se sentia nesse direito,  ir sempre ao bordel e a esposa fiel esperar em casa.

Com o tempo acidentalmente veio o segundo filho, apesar de saber a cada dia que não era aquela vida que ela queria.

Aos poucos as fofocas vinham de bandeja em seus ouvidos, as traições de seu marido com mulheres próximas, parentes, vizinhas, colegas, o homenzinho sem atrativos conseguia tal proeza.

Danúsa triste, infeliz e mal amada decidiu ter o que não tinha em casa, assim como os homens diziam, assim fez o mesmo, com seu talento de atriz anônima e amadora começou a conhecer outros homens próximos. Seu charme, seu carisma, sua eloquência, suas pernas que eram muito cobiçadas, inclusive em noites de boemia.

Assim se deixou amar, ou apenas ter prazer com um jovem primo dele que estava sempre em sua casa, um garotão acima de qualquer suspeita, entre outros…

Agora sabia o que era ter prazer, agora sabia o que era fazer amor.

O melhor amigo do marido em noites regadas a música, sempre separando e voltando com a esposa, um dia lhe cantou, mas ela disse não, porque não ficava com homens casados, somente os disponíveis, era seu critério de caráter.

Porém muitos anos depois, ele estava só e então ela decidiu, se tornaram amantes.

Quando seu filho mais velho já havia se casado e o menor era adolescente, Danúsa decidiu que o copo estava cheio, não sabia que transbordaria, agora escorria e então saia de casa, assim avisando de última hora, levando somente algumas roupas numa pequena mala de mão.

Assim saiu do bairro.

O amante soube de surpresa, mas aceitou e passaram a morar juntos, sem uma briga, somente amor, fidelidade, o amor que não havia tido por vinte anos de casamento.

O filho adolescente recebia seus cuidados e carinho nos fins de semana, ele entendeu que ela partiu em busca da felicidade, para fugir das humilhações que eram crescentes dentro e fora de casa.

Cinco anos depois seu amante, amor, partia de vez, morte repentina, Danúsa ficava só novamente.

O ex-marido lhe avisou que escolhera o homem errado, o amigo que morreu logo, viveu pouco.

Danúsa só avisou que mais valia cinco anos sendo amada pelo homem certo do que infeliz, vinte anos com o homem errado.

Hoje Danúsa não vive mais no bairro Parque São Quirino, deixou aquela história ali, junto com a mobília velha, com o passado. Vive com um dos filhos e o neto em outro bairro bem distante dali, quase ninguém sabe que ela foi o que foi, que viveu o que viveu, que fez o que fez.

E quando conversamos sobre livros e canções eu vejo ainda aquele brilho em seus olhos, por isso que hoje eu a chamo assim: “A Bem Amada do Parque São Quirino”.

(Qualquer semelhança com alguma campineira real é mera coincidência, esta é uma obra de ficção).

Créditos da imagem: “O beijo” (original em alemão: Der Kuss) é um quadro do pintor austríaco Gustav Klimt. Em óleo sobre tela, medindo 180 x 180 cms, entre 1907 e 1908, é uma das obras mais conhecidas do Klimt, graças a um elevado número de reproduções.

O Parque São Quirino é um bairro na Região Leste de Campinas, tendo ao norte o Jardim Santana e o Parque Anhumas, ao sul a Vila Nogueira, a leste o Ribeirão Anhumas e a oeste a Chácara Primavera e o Parque Taquaral.

O Bairro destaca-se por seus belos jardins e fácil acesso para os principais shoppings da cidade (Shopping D. Pedro, Shop. Galleria e Iguatemi ), pela proximidade com a Unicamp e a PUC-Campinas, além de fazer vizinhança ao cartão postal de Campinas, a Lagoa do Taquaral. Cortado pelo Ribeirão Anhumas e pela Rodovia Campinas-Mogi, é um bairro predominantemente de classe média e alta.

Compartilhe

Copyright ©2010-2018 Campinas.com.br. Todos os direitos reservados.

+ Liquidificultura