Carros
Avaliação: BMW i3
Publicado em 6 de dezembro de 2016

O BMW Group está realmente comprometido com um papel de inovação na redefinição da mobilidade pessoal para o futuro. E isso pode ser visto no desenvolvimento realizado desde 2007, como parte do projeto i (modelos i3 e i8). Com isso, o BMW i3 tornou-se o primeiro modelo elétrico produzido em série da nova marca “i”, sob o comando da BMW.

O i3 é o único carro totalmente elétrico vendido regularmente no Brasil. As soluções da Nissan e Renault, ainda que rodem em território nacional, são para programas específicos. E os demais produtos da Toyota, Lexus, Mercedes-Benz e Ford, são modelos híbridos. A principal vantagem do carro elétrico puro são as emissões zero.

Arquitetura LifeDrive

O BMW i3 é o resultado de um conceito que envolveu a criação de um excelente equilíbrio de peso, desempenho e autonomia para a mobilidade. Afinal, a limitação de potência num carro elétrico, ainda é uma realidade nos dias atuais. Assim, o peso é determinante.

Então, os elementos-chave neste ponto são a arquitetura batizada de LifeDrive, e a tecnologia BMW eDrive. O uso de materiais extremamente leves na construção da célula de passageiros, ajuda a compensar o peso extra da bateria de íon de lítio. Outro destaque é o posicionamento inferior e central da bateria, aumentando a agilidade do veículo, e garantindo uma distribuição de peso 50:50. Por fim, o motor elétrico montado bem próximo ao eixo traseiro de tração, melhora o desempenho do conjunto.

A principal vantagem do motor elétrico (sobre o motor a combustão), é a entrega de potência instantânea. O torque é sempre plano e constante. Além disso, à configuração da suspensão, à direção precisa e o impressionante raio de esterço (9,86 metros) do veículo proporciona uma experiência de pilotagem realmente diferenciada nesse veículo elétrico.

O conceito por trás do BMW i3 é a chave para a eficiência. Ele foi projetado desde o início para ser um veículo de propulsão totalmente elétrico. Isto tem várias vantagens sobre veículos “convertidos”, no qual o motor original de combustão é trocado posteriormente por um motor elétrico. Além disso, o carro pode ser pensado para ser dinamicamente eficiente. O Cx (coeficiente de arrasto) do carro é de apenas 0,29.

O BMW i3 apresenta um pacote muito equilibrado. Com um peso vazio total de 1.195 kg, o carro é mais leve que a maioria dos veículos compactos, e ainda oferece ótimo espaço para até quatro ocupantes. O BMW i3 não pode levar 5 pessoas. O banco traseiro é apenas para duas, pois no meio do banco tem um porta-copos, é só existem dois cintos no banco traseiro. O porta-malas não é muito grande. São apenas 260 litros. Mas rebatendo os bancos traseiros, o espaço sobre para generosos 1.100 litros.

Pedal que acelera e freia!

O conceito de “One pedal feeling” do BMW i3 também contribui para uma experiência de condução diferente. Num carro elétrico, tudo é pensado para poupar, e até mesmo recuperar, energia. Assim, no BMW i3, existe um sistema que regenera parte da energia, quando o motorista não está acelerando o veículo.

O modo de recuperação de energia é ativado assim que o motorista tira o pé do acelerador, gerando um tipo de freio motor. O motor elétrico troca de modo de propulsão para o modo gerador, voltando a carregar de energia a bateria de íons de lítio. Ao mesmo tempo, o motor gera um efeito de frenagem controlável. Esta recuperação é sensível à velocidade, o que significa que o carro anda sem esse efeito de freio em altas velocidades, mas gera um forte efeito de frenagem em baixas velocidades (quando está na cidade, por exemplo).

Com alguma prática, o motorista vai se acostumando a praticamente não utilizar o pedal de freio do carro. Toda vez que para de acelerar, o carro já inicia essa “frenagem parcial” para recuperar energia. Então, se o motorista não tiver pressa, e conduzir suavemente, ele consegue passar o dia todo dirigindo, sem praticamente pisar no freio. Pensar antecipadamente no trânsito da cidade pode permitir que o motorista faça 75% das manobras de frenagem sem a aplicação do pedal de freio. As luzes de freio são acionadas se a quantidade de recuperação em andamento produzir o mesmo efeito de frenagem do que quando se pressiona o pedal de freio. O sistema de freio convencional somente passa a fazer parte da ação se o motorista necessitar e pressionar o pedal de freio.

A super bateria

A bateria de alta tensão no BMW i3 é composta de oito módulos (cada um com 12 células individuais), que, juntos, produzem uma tensão nominal de 360 volts e é capaz de gerar cerca de 22 Kw/h de energia. O conjunto da bateria é montado no Módulo Drive e pesa aproximadamente 230 kg. O funcionamento dos sistemas de carregamento da bateria é integrado à eletrônica de potência, que regula as saídas de carga entre 3 kW e 50 kW, dependendo da fonte de eletricidade.

As células de íons de lítio usadas na bateria se destacam por sua alta densidade de energia e ciclo de vida. Estas são projetadas para desempenhar a sua função de armazenamento de energia durante toda a vida do veículo. Para manter sua potência e capacidade de armazenamento ao longo do tempo, o sistema de gestão da bateria controla tanto os processos de carregamento e descarregamento, quanto a temperatura de funcionamento das células.O BMW Group planejou e desenvolveu esta bateria para durar toda a vida do veículo. A garantia da bateria é de oito anos ou 100 mil quilômetros.

Carregamento da rede de energia

Para o recarregamento, o BMW i3 traz um sistema de flexível. Os clientes podem carregar seu veículo em uma tomada doméstica convencional levando cerca de 10 horas (em 220 volts), ou instalar o BMW i Wallbox, que usa a força máxima de corrente disponível na propriedade para carregar a bateria em cerca de três horas. Esse tempo de carregamento, pode variar de acordo com a alimentação disponível para a conexão com a wallbox.

Mas quando o BMW i3 é conectado a uma estação pública de carregamento rápido (50 kW), somente 30 minutos serão necessários para a bateria atingir 80% da capacidade. E mesmo no caso do veículo estar com quase zero de autonomia elétrica, uma pausa para o almoço é o tempo suficiente para recarregar a bateria. Mas são pouquíssimos pontos de recarga no Brasil. Em São Paulo, alguns poucos shoppings e supermercados contam com o sistema. No interior do estado de SP, não existe nenhum ponto disponível.

Motor a combustão para geração de energia

Mas o mundo totalmente elétrico ainda é muito limitado. Seja pela autonomia do carro, ou pela dificuldade dos pontos de recarga.

Para isso a BMW usou uma solução bastante convencional. O BMW i3 na versão REX, conta com um motor à combustão, que tem a exclusiva função de gerar energia para o sistema, sem qualquer ligação com o sistema de tração do carro. Ele funciona com um gerador estacionário, igual aos usados em “campings”. O BMW i3 foi o primeiro carro com motor elétrico do mundo, com um motor extensor de autonomia utilizado exclusivamente para gerar energia elétrica.

Esse motor pode ser utilizado para manter a carga da bateria em um nível constante enquanto o carro está em movimento. Mas isso só é possível depois que a carga da bateria cai abaixo de 75%. Isso pode ser útil para uma viagem na estrada. Assim, na parte de maior desgaste do sistema elétrico, o motor a combustão atua gerando energia para o sistema. E quando o motorista terminar a estrada, ainda terá 75% da bateria para uso na cidade.

Outra situação de funcionamento é quando a bateria cai abaixo de 20% de carga. Nesse caso, o motor à combustão ficara em funcionamento obrigatório, ou até acabar a gasolina, ou até o veículo ser recarregado.

Esse motor à gasolina de dois cilindros e 650cc é na verdade um motor de moto (da linha da própria BMW). Assim, ele gera 25 kW de energia para o sistema elétrico, o que equivale à 34 cv. Ele é instalado imediatamente ao lado do motor elétrico, acima do eixo traseiro.

Desempenho

O motor elétrico do BMW i3 gera uma potência máxima de 125 kW. Isso equivale à quase 170 cavalos. Mas o diferencial é o torque máximo de impressionantes 250 Nm, disponível a qualquer momento. Para comparação, esse torque é próximo do VW Jetta TSI 2.0 litros de 211 cavalos. Outra vantagem do sistema elétrico é o baixo peso do motor, com apenas 49 kg. Num carro com motor a combustão de 2.0 litros, dificilmente o motor pesa menos que 100 kg. Além disso, o carro elétrico não tem câmbio (outro componente pesado). O motor elétrico é ligado diretamente às rodas

Com essa arquitetura, o BMW i3 tem desempenho convincente. Ele acelera de 0 a 60 km/h em apenas 3,7 segundos, e de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos. Mas a velocidade máxima é limitada eletronicamente à 150 km/h, justamente para proteger o sistema elétrico. Afinal, uma das coisas que mais degrada um sistema elétrico (no consumo de bateria), é manter a potência alta, por longos períodos.

Consumo

O motor elétrico do BMW i3 ajuda-o a se locomover de maneira eficaz. O consumo médio de energia do motor, de cerca de 0,13 quilowatts hora por quilômetro no Novo Ciclo Europeu de Condução (NEDC). Fazendo vários cálculos, isso significa que o custo por km rodado fica entre 1/5 e 1/4, quando comparado ao custo de km/l da gasolina. O BMW i3 é o carro com motor elétrico mais econômico de seu tamanho e classe de potência, no mundo.

A bateria de íon de lítio permite que o BMW i3 alcance uma autonomia de 130 a 160 km na condução diária. Esta é aumentada cerca de 20 km em modo ECO PRO, e mais 20 km distância novamente em modo ECO PRO+.

Com o uso do extensor (motor à combustão) há aumento na autonomia máxima do veículo para cerca de 300 km. O uso do extensor de autonomia não recarrega a bateria do carro, apenas gera energia para locomoção. O tanque de combustível de nove litros fica localizado na dianteira do veículo. Quando o carro está nesse modo, o consumo médio é de cerca de 9 à 12 km/l, de acordo como o carro é conduzido.

Dirigibilidade

É indiscutível que a BMW conseguiu fazer um veículo muito legal de ser conduzido. A posição baixa e central da bateria gera um efeito positivo para o centro de gravidade, e a distribuição de peso 50:50, típica de carros de competição, garantem ótima dirigibilidade.

A tração traseira do veículo permite que o eixo dianteiro permaneça livre da função de torque, e cumpra seu papel de direcionamento. Além disso, o assistente da direção elétrica também envia os comandos de direcionamento da direção com suavidade. Seu raio de esterço extremamente pequeno de 9,86 metros e uma configuração da direção que exige apenas 2,5 voltas de batente a batente. Isso melhora ainda mais condução do BMW i3. Ainda que pequeno por fora, a longa distância entre-eixos do i3 (2,57 metros), a rígida estrutura de alumínio e a avançada tecnologia do chassi cumprem o seu papel para garantir a boa dirigibilidade em estradas.

Sistema de navegação com exibição dinâmica da autonomia

O BMW i3 pode ser opcionalmente equipado com um sistema de navegação com funcionalidade estendida para incluir os serviços BMW ConnectedDrive, desenvolvidos especificamente para a BMW i. O Assistente de Autonomia de Condução ajuda no planejamento de rotas. Se o destino selecionado no sistema de navegação está além da autonomia atual do veículo, este auxilia o motorista, sugerindo a mudança para o modo ECO PRO ou ECO PRO+, e também calcula uma rota alternativa mais eficiente. E, se a bateria tiver de ser recarregada em uma estação pública de carregamento, o motorista pode escolher as estações disponíveis na região. Na prática, isso só vale para a cidade de São Paulo.

Compartilhe

Copyright ©2010-2018 Campinas.com.br. Todos os direitos reservados.

+ Carros