quase-multidao.gif
Cultura

Foto-instalação “Quase Multidão”, em Campinas, aborda a relação entre experiências coletivas e individuais

Publicado em 10 de agosto de 2015

A exposição “Quase Multidão” está sendo exibida no Museu de Arte Contemporânea de Campinas “José Pancetti” (MACC), desde o dia 12, e segue até 26 de agosto, com entrada gratuita ao público. Composta por 25 imagens, a mostra aborda a relação entre as experiências individualizadas e coletivas da sociedade pós-moderna. 

“Quase Multidão” é uma foto-instalação de 25 imagens projetadas em uma tela de cinco lados. A cada 2 minutos, cinco imagens são projetadas ao mesmo tempo, formando um conjunto que se relaciona entre si. Uma trilha sonora acompanha a projeção de cada conjunto, chamados de “Trabalho”, “Lazer”, “Manifestação”, “Mediação” e “Vigilância”.

A inspiração do projeto, dirigido pelo cineasta Caue Nunes e produzida pela Liquidificador Produções, surgiu a partir da reflexão sobre experiências coletivas. O que “Quase Multidão” pretende investigar é uma aparente contradição: em uma sociedade pós-moderna e individualizada, há um crescimento das experiências coletivas e comuns. São movimentos bastante diferentes dos que ocorreram no século XX, a tecnologia evoluiu e a ‘massa’ se transformou em ‘multidão’. Esse termo traduz a busca de pontos em comum sem, no entanto, produzir uma igualdade que nivele as subjetividades. A multidão pode ser encarada como uma rede aberta em expansão onde as diferenças podem se expressar livremente.

O projeto foi realizado com o apoio da Prefeitura Municipal de Campinas, Secretaria Municipal de Cultura e Fundo de Investimentos Cultural de Campinas – FICC, uma das linhas de fomento cultural da cidade de Campinas.

Sobre o diretor e a Liquidificador Produções

Caue Nunes já realizou seis curtas-metragens, sendo dois documentários e quatro ficções. Recebeu oito prêmios em festivais de cinema e seus curtas participaram de festivais em diversos países. É especialista em edição de cinema pela Escola Internacional de Los Baños (Cuba), mestre em documentário pelo Labjor/Unicamp e também foi curador da “Mostra Curta Audiovisual” em Campinas por três edições e é professor de ciências sociais da PUC-Campinas.

O diretor é um dos profissionais integrantes da Liquidificador Produções, produtora cultural sediada em Campinas especializada em projetos audiovisuais com o objetivo de viabilizar a produção cultural, com a perspectiva da descentralização do eixo SP-RJ, integração e estímulo ao desenvolvimento da economia criativa do interior do Estado de São Paulo.

O núcleo de profissionais atuantes na produtora é formado ainda por Mariana Maurer, produtora e diretora de arte para curtas, longas, seriados de TV e vídeos publicitários, além de idealizadora e diretora da Mostra Curta Audiovisual de Campinas, já em sua 9° edição, e Tania Jacomini, produtora cultural com experiência em audiovisual, exposições, pesquisas, instalações de atividades para crianças e espetáculos teatrais, entre outros.

Além do lançamento da fotoinstalação “Quase Multidão”, a Liquidificador Produções desenvolve outros dois projetos no ano de 2015: o curta-metragem “Fantasmo”, de Mateus Loner, e a 9ª edição da “Mostra Curta Audiovisual”, que ocorre todos os anos na cidade de Campinas, em outubro.

Serviço:

Exposição “Quase Multidão”
Local: Museu de Arte Contemporânea de Campinas “José Pancetti” (MACC). Rua Benjamin Constant, 1636, Centro – Campinas
Data de visitação: de 13 a 26 de agosto
Horários: de terça a sexta, das 9h às 17h; sábados, das 9h às 16h; domingos e feriados, das 9h às 13h
Entrada: gratuita
Informações: (19) 3236-4716 e 2116-0346

Veja ainda outra exposição no MACC:

Mostra “Kaleidoscópio – Censura e Liberdade” homenageia Bernardo Caro e fundação do MACC

A exposição “Quase Multidão” foi aberta no dia 12 de agosto. Veja galeria de fotos:

Compartilhe

Copyright ©2010-2018 Campinas.com.br. Todos os direitos reservados.

+ Cultura