Cultura
Festival Internacional de Teatro de Campinas tem programação cultural intensa
Publicado em 14 de fevereiro de 2018

Atualizado em 16 de fevereiro

A 14ª edição do Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas está sendo realizada de 17 a 25 de fevereiro, reunindo uma programação intensa de espetáculos e atividades, movimentando a cidade artística e economicamente.

A abertura foi com apresentação do espetáculo “Divinas Divas” (foto à esq.), no teatro Castro Mendes, no sábado (17), às 19h. O espetáculo é um show musical com muito humor. Reúne em seu elenco travestis que enfrentaram a ditadura e fizeram história a partir dos anos 1960, tornando-se referência para as novas gerações. O show inspirou a diretora Leandra Leal a realizar o filme homônimo, lançado em 2017. Após a apresentação, o “Ponto de Encontro” ocorreu no Echos Studio Bar, em Barão Geraldo. 

A programação tem atrações gratuitas e pagas. Os ingressos para espetáculos no teatro Castro Mendes, Sesc Campinas e Teatro de Arte e Ofício custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 6 para trabalhadorers do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes (credencial plena).

Confira a programação completa do 14º Feverestival

Com a proposta debater o “Território do Encontro”, esta edição, de acordo com os organizadores, é resultado da potência da organização coletiva, e busca provocar o próprio ato de estar junto. Serão 9 dias de Festival habitando espaços culturais de diversas regiões da cidade, como a Vila Industrial, Guanabara, Centro e região Noroeste, além do distrito de Barão Geraldo, com espetáculos de todas as regiões do país e duas produções do Reino Unido.

Este ano foram recebidas 547 inscrições nacionais e internacionais e 39 inscrições de grupos locais, via edital específico para coletivos e artistas da região. Foram inscritos espetáculos de 22 estados diferentes do Brasil, das cinco regiões, e de mais sete países. A curadoria nacional foi composta por um time de profissionais do festival e convidados: Cynthia Margareth (coordenadora geral do Feverestival), Dane de Jade (coordenadora do FIMC – Festival Internacional de Máscaras do Cariri), Erika Cunha (atriz), Felipe de Assis (coordenador geral do FIAC – Bahia), Flávia Marques (Sesc Campinas) e Valmir Santos (jornalista e crítico de teatro). A curadoria de espetáculos e ações locais foi realizada por representantes da equipe do Feverestival.

Para nortear a construção desta edição, a equipe lançou um manifesto junto à convocatória de inscrições, convidando os grupos e artistas interessados no Festival a dialogarem com temas, anseios e urgências pertinentes ao momento em que vivemos, para debater o “Território do Encontro”, buscando provocar o próprio ato de estar junto. “O que nos liberta? Nós temos medo de que? Em tempos de censuras devemos pensar em quem, não apenas no quê está sendo censurado. Quem tem medo de corpos desnudos? Corpos trans. Corpos negros. Corpos-índios. Corpos deficientes. Corpos desviados. Subversivos? Corpos libertados – ou em libertação. Quem teme a nossa emancipação? O diferente só o é pela padronização. Em tempos de polarizações, precisamos de posição”, diz o manifesto (leia o texto completo do manifesto no site do evento). 

Atividades reflexivas e residências

Nesta edição, a equipe Feverestival provoca grupos que integram a programação do festival a trazerem, além de seus espetáculos, reflexões e vivências a serem compartilhadas com o público, criando espaços de encontro, diálogo e prática sobre temas que movem e movimentam esses artistas e seus trabalhos. Todas as atividades reflexivas são gratuitas.

Dentro das ações de formação que o Festival se propõe a realizar, nos dias 21 e 22 de fevereiro, das 14h30 às 18h, será realizado o III Fórum de Festivais de Teatro no Brasil – “Curadoria e Internacionalização”, no CIS Guanabara. Em sua terceira edição, o Fórum lança o olhar para estes dois temas que pulsam no presente momento e abre espaço para reflexão, debate e troca entre público, artistas, curadores, diretoras e diretores de Festivais, além de representantes de instituições parceiras.

E dos dias 20 a 23 de fevereiro, em parceria com o LUME Teatro – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da UNICAMP, ocorre o VII Simpósito Internacional Reflexões Cênicas Contemporâneas (mais informações: www.lumeteatro.com.br).

Dentro das atividades reflexivas, destaca-se ainda o workshop “A criação da cena a partir de material autobiográfico”, ministrado por Rhum and Clay Theatre Company e Kit Redstone, que também integram a programação internacional com o espetáculo “Testosterone” (foto à dir.). Durante dois dias o objetivo será de trabalhar em conjunto para escrever, conceber e encenar uma pequena montagem pessoal a partir da abordagem do teatro físico e de narrativas autobiográficas. O workshop será realizado dias 21 e 22, das 14h às 17h, no Centro Cultural Casarão. Para participar, os interessados devem se inscrever através do site www.feverestival.com.br.

Além disso, em 2018 o Feverestival propõe três residências. O fotógrafo Maycon Soldan será o artista residente desta edição, com o trabalho “O Teatro Fora do Eixo”, intervenção que une fotografia e lambe-lambe.

A residência de “Práticas em Produção Cultural” teve início em janeiro e trouxe à equipe do Feverestival estudantes interessadas no aprendizado prático de produção de um festival de teatro.

A residência de “Criação Artística”, com a diretora carioca Christina Streva, trabalhará com atrizes de diversos estados brasileiros, distintas gerações e formações artísticas sobre movimentos de re-existência feminista sob a perspectiva da performance de cabaré. Também podem se inscrever, através do site do festival, mulheres que tenham habilidades em música e dança interessadas em participar da criação. No dia 23, ao final de 6 dias de trabalho, as atrizes irão compartilhar com o público a performance intitulada “Cabaré Phoenix”.

Colaborações e escambo

Além das parcerias institucionais do Feverestival, foram adotadas campanhas de colaboração para alimentação, hospedagem solidária e caronas como formas de chamar moradoras e moradores da cidade para que se apropriem do evento e o construam junto à equipe. Ao longo do Festival ainda é possível colaborar com a campanha “Alimente quem tem fome de arte”, doando alimentos não perecíveis e semiperecíveis que serão transformados em refeições para equipe e artistas.

Para fortalecer os laços e fomentar o encontro entre o Feverestival e as pessoas ao seu redor, a equipe também propõe para esse ano um modelo de permutas que irá estimular a troca direta entre os que acompanham o Festival e os estabelecimentos apoiadores. É necessário fazer o download da imagem que pode ser encontrada via código QR nos locais onde há programação do Festival e no folder distribuído gratuitamente em pontos de ampla circulação. Apresentando esta imagem nos locais participantes é possível realizar o escambo.

Mais informações sobre a campanha de alimentação e o Escambo Feverestival também estão no site do evento.

Histórico

Desde 2003 o Festival marca o calendário cultural de Campinas, tendo criado diferentes formas de se relacionar com os diversos cantos da cidade, com o público e com sua rede de apoiadores. Valoriza as manifestações e produções culturais locais, além de trazer ao município espetáculos reconhecidos nacional e internacionalmente, proporcionando o encontro da população com a potente produção artística do Brasil e do mundo. Em 13 edições alcançou mais de 400 mil pessoas e trouxe mais de 200 produções inéditas para sua programação.

De acordo com os organizadores, os festivais trazem oportunidades de caos e de encontros, de estruturação de redes e de difusões. Constroem pontes e convidam público e artistas para uma Jornada que ressignifica os espaços, ocupa as ruas, cria memórias afetivas e convida a cidade a se expressar e pulsar. 

Entre os parceiros deste ano que dão sustentabilidade para a realização do Feverestival estão a Caixa Cultural, que patrocinou a edição de 2018 através do Programa de Apoio a Festivais de Teatro e Dança; o British Council, no trabalho de valorização do intercâmbio e de circulação de produções internacionais; Sesc Campinas, fortalecendo a difusão de produções nacionais, além dos espaços culturais da cidade de Campinas que receberão a programação do Festival, os estabelecimentos parceiros e todas as pessoas que integram a equipe do Feverestival.

Serviço:

Feverestival – Festival Internacional de Teatro de Campinas 
Ingressos: os ingressos para espetáculos no Teatro Castro Mendes, Sesc Campinas e Teatro de Arte e Ofício custam R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 6 para trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes (Credencial Plena)
Vendas: os ingressos para o Castro Mendes e TAO estarão à venda nas respectivas bilheterias e para o Sesc nas unidades e no site. Correntistas da Caixa tem direito à meia entrada, apresentando o cartão. Outros locais e espetáculos de rua têm entrada gratuita com contribuição no chapéu (contribuição espontânea e consciente) e retirada de senhas no local do espetáculo, 1h antes do início. Todas as Atividades Reflexivas são gratuitas.
Fan page: www.facebook.com/feverestival.campinas

Fonte: assessoria de imprensa

Compartilhe

Copyright ©2010-2018 Campinas.com.br. Todos os direitos reservados.

+ Cultura